ANPEC 2002 - Q3

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

ANPEC 2002 - Q3

Mensagem por temujin em Qua Mar 27, 2013 6:19 pm

Considere um modelo de alocação de tempo e oferta de trabalho, em que o gasto com consumo não pode exceder a renda disponível:
,

No qual: P = índice de preço para os bens de consumo,
C = bens de consumo adquiridos,
I = renda obtida sem trabalhar,
la = horas de lazer,
w = salário e
L = 24 - la = horas de trabalho.
Considere que o trabalhador deseja maximizar sua utilidade, U=U(la,C), em que o eixo x é representado pela variável horas de lazer (la) e o eixo y é representado pela variável consumo (C).

Ⓞ As variáveis endógenas do modelo são salário e consumo.

F. w e P são exógenos. As endógenas são C, la e L.

① A inclinação da restrição orçamentária é o salário real ou salário relativo (-w/P).

V. Rearranjando os termos:



② O efeito-renda e o efeito-substituição, provocados pelo aumento do salário,  têm direção oposta quando as horas de lazer (la) forem um bem normal.

V. Aplicando a equação de Slutsky, vemos que o efeito total do aumento de salário é:



Como la é um bem normal, , então o efeito-renda é positivo.


③ As horas de lazer sempre aumentam quando o salário se eleva.

F. Depende da amplitude dos efeitos renda e substituição. Se o efeito renda for maior, supondo lazer um bem normal, é verdade.

④ Suponha que uma herança aumente o valor da renda obtida sem trabalhar. Então, o consumidor necessariamente reduzirá sua oferta de trabalho.

F. Depende da forma funcional. Se for quase-linear em lazer, a demanda independe da renda.
avatar
temujin

Mensagens : 397
Data de inscrição : 10/03/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum